Resumo do primeiro mês / First month resume

 jornaldejales

 No dia 30/07/2017 iniciamos nossa cicloviagem pelo mundo, com muita emoção nos despedimos dos amigos e familiares e saímos do estacionamento do Hospital do Câncer de Barretos – Unidade II em Jales em direção a casa de parentes de amigos (Senhor Delfim, pai de Diego Pires) em Auriflama, e posteriormente a Araçatuba, cidade onde Juliana, uma amiga de infância de Thiago, e sua família nos receberam.tandem005

 On July 30, 2017, we began our world cycle tour. We began at the car park of Barretos Cancer Hospital – Unit II, in Jales town, going to the house of relatives of friends (Senhor Delfim, father Of Diego Pires) in Auriflama, another small town, and later to Araçatuba, city where Juliana, a childhood friend of Thiago, and her family hosted us.

Após Araçatuba não tínhamos um destino exato somente possíveis rumos, ou seguiríamos para Penápolis ou para Tupã. Foi nesse meio tempo que desencadeou o que chamamos de efeito dominó, pois por meio de uma publicação no Facebook, Valéria (que viu nosso post) entrou em contato conosco, nos avisando que apresentava familiares em uma cidade próxima a Tupã, chamada Santópolis do Aguapeí, e foi para lá que fomos.jucarrenho After Araçatuba we had not an exact destination, only possible routes, we would follow or to Penápolis or to Tupã city. It was during this time that triggered what we call the domino effect, because through a publication on Facebook, Valeria (who saw the post) contacted us, telling us that she had relatives in a town near Tupã, called Santhopolis do Aguapeí, and it was there that we headed to.

No caminho para Santópolis do Aguapeí tivemos nosso primeiro imprevisto da viagem com a bike, o pneu traseiro começou a rasgar e não tínhamos um reserva. Para nossa sorte ao deitarmos a bike para trocar os pneus traseiro para o dianteiro, fomos abordados por dois trabalhadores da DER ( Flávio e Darci) que gentilmente nos deram carona até Santópolis e ainda nos ajudaram a localizar a única bicicletaria da cidade, que também por sorte apresentava um único pneu e esse era justamente um aro 26, exatamente o número que precisávamos.  pneu05

On the way to Santhopolis do Aguapeí we had our first trouble with the bike, the rear tire started to rip and we did not have a spare one. Luckly, when we put the bike down to change the tires from the rear to the front, we were approached by two road workers with their SUV (Flávio and Darci) who kindly gave us a ride to Santópolis and also helped us locate the only bike shop in the city, which had a single tire and that was exactly the type we needed.

domino002Após resolver o problema com a bicicleta, entramos em contato com Diego Miguel, parente de Valéria, que nos conduziu até o sítio de Zequinha e dona Marlene, local onde passamos aquela noite. Diego Miguel após nos conhecer nos ajudou colocando em contato com sua amiga Pâmela que morava em Tupã, e ela aceitou nos receber no dia seguinte. After solving the problem with the bike, we contacted Diego Miguel, a relative of Valeria, who took us to the farm of Mr Zequinha and Mrs. Marlene, where we spent that night. Diego Miguel after meeting us helped us by contacting his friend Pâmela who lived in Tupã, and she agreed to meet us the next day.

domino006Ao chegar na cidade de Tupã, fomos abordados por Claudemir, que nos pediu para realizarmos uma matéria para a emissora de TV a qual trabalhava, nós aceitamos e no outro dia realizamos a matéria. Claudemir também nos ajudou muito nos colocando em contato com Fátima e o bombeiro Braga. Fátima e seu filho Giuseppe nos receberam na cidade de Pompéia, e o bombeiro Braga nos colocou em contato com Kouri que nos ajudou a conseguir uma revisão na bike com o Tamura bike Shop, um almoço árabe no restaurante Baba Esmeralda e um noite no Hotel Dmax na cidade de Marília. When we arrived in the city of Tupã, we were approached by Claudemir, who asked us to do a story for the local TV station where he worked at, we accepted and the next day we did the story. domino007Claudemir also helped us by putting us in touch with Fátima and the firefighter Braga. Fatima and her son Giuseppe met us in the city of Pompeia and the firefighter Braga put us in contact with Kouri who helped us to get a bike review with the Tamura bike shop, an Arab lunch at the Baba Esmeralda restaurant and a night at the Hotel Dmax in the city of Marília.

Após Marília seguimos rumo a Santa Cruz do Rio Pardo, mas como não conseguiriamos chegar lá direto tivemos que parar no meio do caminho e acampar em um posto de gasolina perto da cidade de Ocauçu, nos sentimos seguro, e em momento algum tivemos medo, porém não tivemos muita sorte com relação ao local que montamos nossa barraca, pois era um local com muito barulho e muita luz, mas mesmo assim conseguimos ter uma boa noite de sono.campingposto After Marília we continued towards Santa Cruz do Rio Pardo, but since we could not get there straight we had to stop half way and camp at a gas station near the city of Ocauçu, we felt safe, and at no time were we afraid, We did not have much lucky with the place that we set up our tent, because it was a place with a lot of noise and lots of light, but we still managed to get a good night’s sleep.

Seguimos então para Santa Cruz do Rio Pardo, cidade onde meus tios, Jonas e Lourdes, nos receberiam, eles nos receberam no domingo e fomos embora na quarta-feira de manhã, aproveitamos esse tempo para descansar, deixar para trás algumas roupas que julgamos desnecessárias para a viagem e também para fazer algo diferente que foi voar de Para-Trike, meu primo Daniel Vieira que é piloto nos ofereceu esse voo, e não perdemos a oportunidade de realizar mais essa experiência. para-trikeWe then proceeded to Santa Cruz do Rio Pardo, a city where my uncles, Jonas and Lourdes, would welcome us, they welcomed us on Sunday and we left on Wednesday morning, we took this time to rest, to leave behind some clothes that we consider unnecessary for the trip and also to do something different that was flying with Para-Trike, my cousin Daniel Vieira who is  a pilot offered us that flight, and we did not miss the opportunity to have this experience.

Após Santa Cruz do Rio Pardo, decidimos ir para Piraju, pesquisando na internet encontramos um grupo no Facebook chamado “Eu Amo Piraju” e lá postamos uma foto nossa contando da viagem e perguntando se teria um local seguro para podermos acampar na cidade. E o grupo teve um retorno imediato e maior do que esperávamos, muitas pessoas se solidarizaram com nossa viagem e nos ofereceram hospedagem, almoços, no restaurante Terra Nova, e jantares, na Pizzaria Torre de Pizza e no Restaurante Japonês Kenko sushi bar, nós agradecemos a todos e ficamos na casa da Ana Maria por dois dias, e conhecemos a cidade, e também seu sobrinho o Pepe da seleção brasileira de Canoagem e realizamos entrevista para a rádio Paranapanema da região. pirajuAfter Santa Cruz do Rio Pardo, we decided to go to Piraju, searching the internet we found a group on Facebook called “I love Piraju” and we posted a picture of us telling about the trip and asking if we would have a safe place to camp in the city. And the group had an immediate and bigger return than we expected, many people have been sympathetic to our trip and offered us lodging, a lunch at the Terra Nova restaurant, and  a dinner at the Pizza Tower Pizzeria and at the Kenko Japanese sushi bar restaurant, we thank to everyone and we stayed at Ana Maria’s house for two days, and we met the city, and also her nephew Pepe from the Brazilian Canoe team, and we were interviewed by the local Paranapanema radio station.

nonnononnaTambém por meio da internet conseguimos o contato de Erasmo que ofereceu o sítio de seus sogros como hospedagem em Taquarituba, conhecemos então o nonno e a nonna, que fizeram um banquete de comidas de sítio para nós. Comemos muito bem nesse dia e tudo feito com muito carinho pela querida Nonna. A noite jantamos com Erasmo e seus amigos, e entre eles estava Rodrigo e Tatiana que apresentavam parentes em Itaberá, a próxima cidade para qual iriamos, e eles também nos ofereceram hospedagem por lá. Also through by the internet we got the contact of Erasmo who offered the place of his in-laws as lodging in Taquarituba, we knew then the nonno and the nonna, that made a feast of foods for us at their farm. We ate very well that day with all that done with much affection by dear Nonna. At night we dined with Erasmus and his friends, and between them was Rodrigo and Tatiana who had relatives in Itaberá, the next town we would go to, and they also offered us accommodation there.

flavinhaA estrada de Taquarituba a Itaberá estava muito movimentada e não apresentava acostamento, então decidimos pegar um caminho por zona rural, mas isso não foi uma boa ideia, pois o GPS resolveu ficar doidão e por fim ficamos horas e horas rodando e saímos praticamente no mesmo local, e somente quando estava escurecendo que conseguimos chegar na pista novamente, e para nossa sorte, Erasmo cruzou novamente nosso caminho e parou para nos oferecer ajuda, ele e Rodrigo nos deram carona até o sítio dos pais de Rodrigo, Tuto e dona Maria, local onde passamos aquela noite e mais o dia dos pais. Família muito bacana que nos acolheu nesse momento de cansaço e ainda nos ofereceu carona até Ribeirão Branco na segunda feira. itaberaThe road from Taquarituba to Itaberá was very busy and did not have a shoulder, so we decided to take a dirt road through the countryside, but that was not a good idea, because the GPS decided to get crazy and we spent hours and hours running on circles and it was only when it was getting dark that we were able to get back on the road again, and luckily Erasmus crossed our path again and stopped to offer us help, he and Rodrigo gave us a ride to the home of Rodrigo’s parents Tuto and Mrs Maria, where we spent that night and the next day. Very nice family that welcomed us in this moment of fatigue and still offered us a ride to Ribeirão Branco on Monday.

motoclubApós o fim de semana no sítio seguimos então de Ribeirão Branco até Apiaí, a segunda cidade mais alta do estado de São Paulo, o rapaz com que tínhamos nos comunicado algumas semanas atrás que nos receberia não estava na cidade por motivo de trabalho, então paramos no centro da cidade para procurar um ponte de internet para verificar o que poderíamos fazer, sem perceber tínhamos parado em frente a um clube de motociclistas que gentilmente nos ofereceram um pouco de descanso um delicioso hambúrguer e nos ajudaram encontrar um local para dormir, César também motociclista nos ofereceu hospedagem para aquela noite, ele nos contou muito sobre a história da região, foi uma troca muito rica de informações. After the weekend on the farm we then went from Ribeirão Branco to Apiaí, the second highest city in the state of São Paulo, the boy we had communicated with a few weeks ago that would welcome us was not in the city due to work, so we stopped in the center of town to look for an internet to check what we could do without realizing we had stopped in front of a motorcycle club that kindly offered us a bit of rest, a delicious burger and helped us to find a place to sleep, Caesar offered us lodging for that night, he told us a lot about the history of the region, it was a very rich exchange of information.

petarDepois seguimos descendo a serra para a região de Iporanga onde se encontra o Parque Estadual do Vale da Ribeira, lá paramos no bairro da Serra, perto do Núcleo Santana, onde Banha amigo de César gentilmente pagou nossa hospedagem na Pousada de Idati. Realizamos os passeios nas cavernas do Morro Preto e Couto com o guia Pachá que nos explicou muita coisa bacana sobre a caverna e sua região. Após os passeios conhecemos Rodrigo filho de Idati que nos passou o contato de um guia da Caverna do Diabo para ajudar a conseguir hospedagem em Eldorado. Then we continue down the mountain to the region of Iporanga where is the State Park of  Vale da Ribeira, there we stop in the neighborhood near the Núcleo Santana, where Banha , friend of César, kindly paid our lodging at the Pousada de Idati. We made the trekking in the caves of Morro Preto and Couto with the guide Pacha, who explained to us a lot of cool things about the cave and its region. After the tours we meet Rodrigo, son of Idati ,who gave us the contact of a guide at the Devil’s Cave to help us get lodging in Eldorado.

canhamboraMas antes de Eldorado iamos parar ainda em Iporanga, e por meio novamente do Facebook, conseguimos hospedagem no sítio do Calil , que gentilmente deixou utilizarmo sua casa na reserva Canhobora mesmo ele não estando lá, e mesmo sem nos conhecer. O sítio não apresentava luz eletrica mas já foi suficiente para passarmos uma noite segura com um banho quente e jantar feito no fogão a lenha. Depois de lá seguimos para Eldorado, paramos num camping bem no pé da entrada para a estrada da Caverna do Diabo, nesse dia choveu bastante e meus pés chegaram a ficar até azuis de tanto frio e umidade. O dia seguinte também choveu, mas mesmo com chuva decidimos ir visitar a caverna, que por sinal é muito bonita e com muita infra-estrutura. Por sorte mais uma vez lá encontramos o guia que o Rodrigo , filho de Idati, tinha nos indicado e ele aceitou nos ajudar e nos ofereceu um quarto em sua pousada, Pousada Arapassu, em Eldorado. cavernadodiaboBut before Eldorado we went to Iporanga, and through Facebook again, we got lodging at the farm of Mr Calil, who kindly let us use his house in the Canhobora reservation even though he was not there, and even without knowing us. The place did not have electric light but it was enough to spend a safe night with a hot bath and dinner on the wood stove. After that, we went to Eldorado, we stopped at a campground at the foot of the entrance to the Devil’s Cave road, that day it rained a lot, and my feet even turned blue with cold and dampness. The next day also rained, but even with rain we decided to go visit the cave, which by the way is very beautiful and with a lot of infrastructure. Luckily once again we found the guide that Rodrigo, son of Idati, had told us about and he (Mr Gabriel) agreed to help us and offered us a room in his Pousada, Pousada Arapassu, in Eldorado.

Em Eldorado, mais uma vez em virtude da internet Luiz ,que é chefe de gabinete em Eldorado, pediu para que passasssemos no centro de informações turísticas da cidade, lá nós o encontramos e ele nos apresentou ao prefeito Vadico e nos colocou em contato com o vice-prefeito de Pariquera-açu, Wagner. At Eldorado town, once again by virtue of the internet, Luiz, who is chief of staff in Eldorado, asked us to stop by the tourist information center of the city, there we found him and he introduced us to Mayor Vadico and put us in touch with the deputy mayor Of Pariquera-açu (next stop), Wagner.

pariqueraEm Pariquera-Açu, Wagner nos apresentou a Apae, a Escola Presidente Vargas, a mais antiga da cidade, fundada em 1940, onde lá o diretor criou um mini museu que conta a história e as origens da cidade, e além do tour por Pariquera-Açu, Wagner nos permitiu passar uma noite em um quartinho do postinho de saúde da cidade. In Pariquera-Açu, Wagner showed the city structure and the Presidente Vargas School, the oldest in the city, founded in 1940, where the director created a mini museum that tells the history and origins of the city, as well as the tour of Pariquera Açu, Wagner allowed us to spend a night in a small room in the health post of the city.

ilhacompridaNo dia posterior seguimos rumo a Cananéia, onde fomos recebidos pelo Couchsurfing Fernando Vieira, lá ficamos dois dias, para podermos conhecer a Ilha Comprida e a Ilha do Cardoso. Duas Ilhas incríveis com muito pássaros, como o Guará e o Atobá Marrom. On the following day we continue towards Cananéia, where we were received by the Couchsurfer Fernando Vieira, we stayed there for two days, to get to know Ilha Comprida and Ilha do Cardoso. Two amazing islands with lots of birds, like Guará and Atobá Marrom.

cachoeriariodasminasDe Cananéia, seguimos em direção ao Ariri, mas como queriamos conhecer o quilombo do Mandira, a cahcoeira do Mandira e a cachoeira do rio das Minas, decidimos tentar parar na segunda cachoeira, e foi isso que fizemos, quando chegamos no quilombo do Mandira, paramos no bar do Ney e do Chico para comer as famosas ostras, e o Chico nos indicou para procurarmos o Daniel na cachoeira do Rio das Minas, e após visitarmos a cachoeira nós o encontramos e ele não só permitiu que ficassemos aquela noite ali como também deixou que ficassemos em um quartinho de sua casa, tudo era bem simples mas para nós isso já era um luxo. Conversamos sobre nossa ideia de seguir para o Ariri e pegar um barco para Superagui, Daniel nos alertou que não seria barato essa travessia, e inclusive ele ligou para amigos de Ariri para confirmar, e realmente o valor para nosso transporte e para o transporte da bicicleta não ficaria barato. Então Thiago perguntou sobre a Trilha do Telégrafo, pois tínhamos lido sobre ela, porém ela tinha uma fama de ser muito difícil, um amigo de Daniel disse que conseguiríamos atravessar essa trilha sim, mas que teríamos que empurrar. Inocentemente calculamos que mesmo se empurrássemos a bike pelos 8km de trilha demorariamos umas 2h, e aceitamos o desafio. From Cananéia, we headed towards the Ariri, but since we wanted to know the Mandira quilombo, the Mandira waterfall and the Minas river waterfall, we decided to try to stop at the second waterfall, and that’s what we did when we arrived in the Mandira quilombo, We stopped at Ney and Chico’s bar to eat the famous oysters, and Chico told us to look for Daniel at the Rio das Minas waterfall, and after visiting the waterfall we found him and he not only allowed us to stay that night there, but also let us stay in a small room of his house, everything was very simple but for us this was already a luxury. We talked about our idea of ​​going to Ariri and getting a boat to Superagui park, Daniel warned us that this crossing would not be cheap, he called an Ariri’s friend to confirm, and really the value for our transport and for the transport of the bicycle would not be cheap. Then Thiago asked about the Telegraph Track, because we had read about it, but it had a reputation of being very difficult, a friend of Daniel said we could cross that track, but that we would have to push the bike all the time. Innocently we calculated that even if we pushed the bike through the 8km of trail it would take us about 2h, and we accepted the challenge.

trilha01Seguimos então no dia seguinte para o início de nosso maior pesadelo até então, a trilha do telégrafo, logo de início escorreguei e cai na lama, após a primeira hora, só tínhamos andado um quilometro, o barro era tanto que as vezes afundavamos até os joelhos, decidimos tirar por um trecho os alforges e passar a bike sem peso para ver se melhorava nossa velocidade, encontramos um senhor que nos ajudou a levar nossos alforges até um riacho que também inocenetmente achamos ser o fim do trecho com lama, tomamos um banho nesse riacho, lavamos a bicicleta, e quando fomos seguir demos de cara com mais um longo caminho frustrante de lama. Andamos, empurramos e atolamos por mais algumas horas, e quando eram 17h chegamos em uma area descampada com uma casinha abandonada e foi lá que falei para Thiago que deveriamos acampar, pois não conseguiriamos chegar ao final da trilha naquele dia. trilha02Então acampamos e no outro dia seguimos por mais 3 horas de trilha e lama, e com a ajuda do seu Dacico, um senhor que estava cortando a grama da beira da trilha, ele nos ajudou no trecho de morros da divisa do estado de São Paulo ao Paraná e foi essencial para conseguirmos terminá-la em menos tempo, pois se não teríamos demorado mais uma hora para mais sem ele. Após terminado a trilha paramos no bar de dona Nica, para almoçarmos e nos limpamos com uma mangueira que tinha ao lado do bar. Como estava calor, aproveitamos e nos banhamos ali mesmo com a mangueira. Foi bem refrescante, depois seguimos até Guaraqueçaba, onde por meio de um grupo do Facebook da cidade conseguimos hospedagem na pousada Raios de Sol, da querida Ruth e fomos muito bem recebidos pelo Sérgio, secretário do Turismo, que nos orientou sobre a cidade e ainda nos levou para Jantarmos na pizzaria de Zito, vice-prefeito da cidade de Guaraqueçaba. guaraquecabaThen we went the next day to the beginning of our greatest nightmare until then, the telegraph track, from the beginning I slipped and fell in the mud, after the first hour, we had only walked a kilometer, the mud was so much that sometimes we sank to the knees, we decided to take out the panniers for a while to see if it would improve our speed, we found a gentleman who helped us carry our bags to a creek that we also innocently thought was the end of the stretch with mud, we washed ourselves and the bike in that creek,and when we went back to the trail we faced another long and frustrating mud trail. We walked, we pushed and jammed for a few more hours, and when it was 5:00 PM we arrived in an open area with an abandoned house and it was there that I told Thiago that we should camp, because we would not be able to reach the end of the trail that day. Then we camped and the next day we followed for another 3 hours of trail and mud, and with the help of Mr Dacico, a gentleman who was cutting the grass from the edge of the trail, he helped us in the stretch of hills of the state of São Paulo to Paraná and it was essential that we could finish it in less time, otherwise we would have taken another hour to do it. After finishing the trail we stopped at Dona Nica’s bar for lunch and cleaned ourselves with a hose that was next to the bar. Since it was hot, we took advantage of it and bathed there with the hose. It was very refreshing, then we went to Guaraqueçaba town, where, through a Facebook group in the city, we got a room at Rios de Sol’s hostel, and we were very well received by Sérgio, Secretary of Tourism, who gave us tips about the city and still took us to dinner at Zito’s pizzeria, mr Zito is the deputy mayor of the city of Guaraqueçaba at the time of this post.

1000km

E por fim concluímos então nosso primeiro mês, com 1000km rodados, após a travessia do estado de São Paulo para o Paraná, na bela cidade de Guaraqueçaba. And finally we finished our first month, with a 1000 km cycled, after crossing the state of São Paulo to Paraná, in the beautiful city of Guaraqueçaba.

Um comentário sobre “Resumo do primeiro mês / First month resume

  1. Pingback: Principais Pontos Turísticos Visitados no Estado de São Paulo | 2fortrips

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s